Diagrama Morfológico

Informações da Edificação

Locação do Edifício
Fonte: Google Maps

Carta Solar
Fonte: Programa SOL-AR

Imagem do Edifício

Ficha Técnica Clima
Nome do Projeto:
Casa do Professor
Tipo de Clima:
Tropical de altitude
Tipologia:
Edifício não Residencial
Latitude:
-15,78000
Cidade:
Brasília
Longitude:
-47,93000
Estado:
Distrito Federal
Altitude:
1171
País:
Brasilk
Temperatura média anual:
21,2
Endereço:
Universidade de Brasília – DF
Média mensal (máxima):
26,6
Nome do Arquiteto:
Raimundo Nonato Veloso Filho
Média mensal (mínima):
16,1
Ano de elaboração do projeto:
Horas de insolação anual:
2364,8
Ano do término da construção:
2005
Zona Bioclimática:
4

Zona Bioclimática
Fonte: Programa ZBBR


Planta do Edifício com as Cartas Solares de Cada Fachada



Imagem do Edifício

Planta Baixa do Edifício

Corte do Edifício
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros A Variáveis do Parâmetros B, C, D
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
I Espaço Urbano A Desenho urbano

B Refletância das fachadas
C Especularidade das fachadas
D Ângulo máximo de incidência do sol na base do edifício
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros E, I e K Variáveis do Parâmetros F, G, H e J
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
II Edifício E Planta baixa
F Refletância das fachadas do edifício analisado
G Especularidade das fachadas do edifício analisado
H Taxa de aberturas para o exterior
I Distribuição das aberturas nas fachadas
J Proteções solares nas fachadas  
         Tipo de Brise
Horizontal
Horizontal
         Ângulo do Brise
37
27
K Aberturas zenitais
       
Uso do ambiente: Café
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros L, Q, R, S, T e U Variáveis do Parâmetros M, N, O, P e Q
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
III Ambiente L Planta Baixa
M Posição do coletor de luz  
N Dimensão do coletor de luz
O Forma do coletor de luz
P Controle da entrada de luz
Q Tipo de envidraçado
R Refletância do teto
       
S Refletância das paredes
T Refletância do piso
U Controle e integração da iluminação artificial


Planta Baixa do Ambiente


Foto do Ambiente

Foto do Ambiente

seu_nome:Debora
Análise crítica:
Teste...teste...O programa executado pelo arquiteto se organiza em dois níveis. No térreo, passando a entrada livre, tem-se uma galeria para exposições e eventos, além de áreas de apoio, como cozinha, restaurante e almoxarifado. Subindo uma escada metálica, chega-se ao pavimento superior, onde ficam as salas de reuniões, de diretoria e o arquivo. As empenas soltas, que criam uma espécie de moldura do edifício, exploram a expressividade do concreto armado aparente. Presentes nas duas laterais, não deixam de ser um flerte com a escola brutalista paulista (MARCHIS et al, 2010).

O método permitiu identificar pontos positivos no projeto analisado? Quais?
Sim,O programa executado pelo arquiteto se organiza em dois níveis. No térreo, passando a entrada livre, tem-se uma galeria para exposições e eventos, além de áreas de apoio, como cozinha, restaurante e almoxarifado. Subindo uma escada metálica, chega-se ao pavimento superior, onde ficam as salas de reuniões, de diretoria e o arquivo. As empenas soltas, que criam uma espécie de moldura do edifício, exploram a expressividade do concreto armado aparente. Presentes nas duas laterais, não deixam de ser um flerte com a escola brutalista paulista (MARCHIS et al, 2010).

O método permitiu identificar pontos negativos no projeto? Quais?
Sim, O programa executado pelo arquiteto se organiza em dois níveis. No térreo, passando a entrada livre, tem-se uma galeria para exposições e eventos, além de áreas de apoio, como cozinha, restaurante e almoxarifado. Subindo uma escada metálica, chega-se ao pavimento superior, onde ficam as salas de reuniões, de diretoria e o arquivo. As empenas soltas, que criam uma espécie de moldura do edifício, exploram a expressividade do concreto armado aparente. Presentes nas duas laterais, não deixam de ser um flerte com a escola brutalista paulista (MARCHIS et al, 2010).

Na sua opinião, o método permite contribuições ao processo de elaboração do projeto? Por quê?
Sim, O programa executado pelo arquiteto se organiza em dois níveis. No térreo, passando a entrada livre, tem-se uma galeria para exposições e eventos, além de áreas de apoio, como cozinha, restaurante e almoxarifado. Subindo uma escada metálica, chega-se ao pavimento superior, onde ficam as salas de reuniões, de diretoria e o arquivo. As empenas soltas, que criam uma espécie de moldura do edifício, exploram a expressividade do concreto armado aparente. Presentes nas duas laterais, não deixam de ser um flerte com a escola brutalista paulista (MARCHIS et al, 2010).

Descreva o que achou do tempo de análise necessário para aplicar o método em um projeto?
O programa executado pelo arquiteto se organiza em dois níveis. No térreo, passando a entrada livre, tem-se uma galeria para exposições e eventos, além de áreas de apoio, como cozinha, restaurante e almoxarifado. Subindo uma escada metálica, chega-se ao pavimento superior, onde ficam as salas de reuniões, de diretoria e o arquivo. As empenas soltas, que criam uma espécie de moldura do edifício, exploram a expressividade do concreto armado aparente. Presentes nas duas laterais, não deixam de ser um flerte com a escola brutalista paulista (MARCHIS et al, 2010).