Diagrama Morfológico

Informações da Edificação

Locação do Edifício
Fonte: Google Maps

Carta Solar
Fonte: Programa SOL-AR

Imagem do Edifício

Ficha Técnica Clima
Nome do Projeto:
Edifício da ANTAQ
Tipo de Clima:
Tropical de altitude
Tipologia:
Edifício não Residencial
Latitude:
-15,78000
Cidade:

Notice: Undefined offset: 1 in /home/dfelix/public_html/diagramamorfologico/aplicacao/views/scripts/index/relatorio.phtml on line 110
Longitude:
-47,93000
Estado:
Distrito Federal
Altitude:
1171
País:
Brasil
Temperatura média anual:
21,2
Endereço:
514 norte - Via W3
Média mensal (máxima):
26,6
Nome do Arquiteto:
Francisco Fanucci e Marcelo Ferraz
Média mensal (mínima):
16,1
Ano de elaboração do projeto:
2004
Horas de insolação anual:
2364,8
Ano do término da construção:
2010
Zona Bioclimática:

Zona Bioclimática
Fonte: Programa ZBBR


Planta do Edifício com as Cartas Solares de Cada Fachada



Imagem do Edifício

Planta Baixa do Edifício

Corte do Edifício
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros A Variáveis do Parâmetros B, C, D
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
I Espaço Urbano A Desenho urbano
B Refletância das fachadas
C Especularidade das fachadas
D Ângulo máximo de incidência do sol na base do edifício
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros E, I e K Variáveis do Parâmetros F, G, H e J
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
II Edifício E Planta baixa
F Refletância das fachadas do edifício analisado
G Especularidade das fachadas do edifício analisado
H Taxa de aberturas para o exterior
I Distribuição das aberturas nas fachadas
J Proteções solares nas fachadas  
         Tipo de Brise
Horizontal
Horizontal
Horizontal
         Ângulo do Brise
K Aberturas zenitais
       
Uso do ambiente: Edifício Comercial
Nível Parâmetros Variáveis do Parâmetros L, Q, R, S, T e U Variáveis do Parâmetros M, N, O, P e Q
Fachada
Norte Sul Leste Oeste
III Ambiente L Planta Baixa
M Posição do coletor de luz  
N Dimensão do coletor de luz
O Forma do coletor de luz
P Controle da entrada de luz
Q Tipo de envidraçado
R Refletância do teto
       
S Refletância das paredes
T Refletância do piso
U Controle e integração da iluminação artificial


Planta Baixa do Ambiente


Foto do Ambiente

Foto do Ambiente

Foto do Ambiente
seu_nome:Priscila Gerardi
Análise crítica:
Apesar de o prédio se apresentar por meio de um polígono duro e sóbrio, os arquitetos conseguiram, usando diferentes materiais, cortes e recuos, além de áreas que permitem a interação com o ambiente externo, suavizar essa forma que poderia ser tão pesada. Ademais, o contraste entre exterior e interior traz surpresa, mas isto não é algo desagradável, já que a proposta foi bem realizada pelos arquitetos. Eles também tiveram sucesso nas soluções bioclimáticas relacionadas à iluminação, mas deixaram a desejar quanto à ventilação natural. Os brises foram usados da melhor maneira possível e as aberturas verticais também. Porém, o edifício acabou ficando vedado e dependente do uso de ar condicionado. Outro ponto que chama a atenção é o fato de o terreno do edifício não ser limitado somente aos funcionários e visitantes, já que as passagens transversais compostas por jardins e uma praça suspensa permitem a locomoção de pedestres por aquela área.

O método permitiu identificar pontos positivos no projeto analisado? Quais?
Sim, principalmente a maneiro como foi aproveitada a luz natural

O método permitiu identificar pontos negativos no projeto? Quais?
Sim, a ausência de preocupação com a ventilação natural.

Na sua opinião, o método permite contribuições ao processo de elaboração do projeto? Por quê?
Sim, ele serve como auxiliar na elaboração de projetos, principalmente em relação a parte bioclimático, lembrando de pontos que às vezes passam desapercebidos.

Descreva o que achou do tempo de análise necessário para aplicar o método em um projeto?
Com o material já em mãos o tempo é curto o que permite o uso em projetos.